Programa
O Bebé Sabe Comer

Refeições Tranquilas em Família

97€

Programa
O Bebé Sabe Comer

Refeições Tranquilas em Família

Programa
O Bebé Sabe Comer

Refeições Tranquilas em Família

O que é o Programa O Bebé Sabe Comer?

Design sem nome (1)

O  Programa O Bebé Sabe Comer é baseado na abordagem Baby Lead Weaning (BLW). O BLW é uma abordagem muito específica de introdução da alimentação complementar, é muito mais do que um “método”, é uma filosofia de vida e de olhar o bebé como alguém com igual valor. As refeições são feitas em família e constituem momentos de partilha e, para o bebé, também de brincadeira e descoberta. O BLW vai ajudar-te a (re)pensares a tua alimentação e poderá “obriga-te” a encontrar opções mais equilibradas, saudáveis e conscientes.

O BLW ou introdução alimentar guiada pelo bebé permite que o bebé utilize o seu desejo de explorar, de experimentar e de imitar as atividades dos outros. Assim, a criança define o ritmo de cada refeição e prepara-se para a transição para os sólidos da forma mais natural possível. Os bebés que comem sozinhos têm mais do que apenas o sabor do alimento para conhecer – experimentam também textura, cor, tamanho e forma.

O BLW permite que os bebés cresçam com uma relação saudável com a comida e é baseado no desenvolvimento do bebé no primeiro ano de vida. Além da independência que confere tanto aos
pais, como ao bebé, a abordagem BLW também permite desenvolver a atividade cognitiva e sensório-motora. O bebé é encarado como o protagonista da sua própria alimentação e, por isso, assenta em três grandes pilares: respeito, confiança e autonomia. em que a ingestão de alimentos é quase um “bónus” pois não é o ponto mais importante. Este aspecto pode parecer controverso pois a quantidade de alimentos ingeridos costuma ser o principal foco e preocupação, quer das famílias, quer dos profissionais de saúde. Lembra-te, o leite (seja materno, seja artificial) é a principal fonte de nutrientes do 1.º ano de vida. Tens tempo! O teu bebé tem a vida inteira para comer! Divirtam- se!

O  Programa O Bebé Sabe Comer é baseado na abordagem Baby Lead Weaning (BLW). O BLW é uma abordagem muito específica de introdução da alimentação complementar, é muito mais do que um “método”, é uma filosofia de vida e de olhar o bebé como alguém com igual valor. As refeições são feitas em família e constituem momentos de partilha e, para o bebé, também de brincadeira e descoberta. O BLW vai ajudar-te a (re)pensares a tua alimentação e poderá “obriga-te” a encontrar opções mais equilibradas, saudáveis e conscientes.

O BLW ou introdução alimentar guiada pelo bebé permite que o bebé utilize o seu desejo de explorar, de experimentar e de imitar as atividades dos outros. Assim, a criança define o ritmo de cada refeição e prepara-se para a transição para os sólidos da forma mais natural possível. Os bebés que comem sozinhos têm mais do que apenas o sabor do alimento para conhecer – experimentam também textura, cor, tamanho e forma.

O BLW permite que os bebés cresçam com uma relação saudável com a comida e é baseado no desenvolvimento do bebé no primeiro ano de vida. Além da independência que confere tanto aos pais, como ao bebé, a abordagem BLW também permite desenvolver a atividade cognitiva e sensório-motora. O bebé é encarado como o protagonista da sua própria alimentação e, por isso, assenta em três grandes pilares: respeito, confiança e autonomia. em que a ingestão de alimentos é quase um “bónus” pois não é o ponto mais importante. Este aspecto pode parecer controverso pois a quantidade de alimentos ingeridos costuma ser o principal foco e preocupação, quer das famílias, quer dos profissionais de saúde. Lembra-te, o leite (seja materno, seja artificial) é a principal fonte de nutrientes do 1.º ano de vida. Tens tempo! O teu bebé tem a vida inteira para comer! Divirtam- se!

A introdução alimentar
feita ao ritmo do teu bebé!

A introdução alimentar
feita ao ritmo do teu bebé!

O que vais aprender neste curso

1

Em que consiste o BLW

4

Reflexo de vómito e engasgamento

2

Sinais de prontidão do bebé para iniciar a alimentação complementar

5

Preparação dos alimentos – dos primeiros alimentos à alimentação da família

3

Princípios básicos de segurança

6

Trabalhar e BLW: é possível?

O que vais aprender neste curso

1

Em que consiste o BLW

2

Sinais de prontidão do bebé para iniciar a alimentação complementar

3

Princípios básicos de segurança

4

Reflexo de vómito e engasgamento

5

Preparação dos alimentos – dos primeiros alimentos à alimentação da família

6

Trabalhar e BLW: é possível?

para quem é este curso

Este curso online destina-se aos pais, cuidadores (avós, amas, educadores de infância, auxiliares de educação) e profissionais de saúde que pretendem obter mais informações sobre a abordagem de introdução alimentar guiada pelo bebé (BLW).

O QUE VAIs RECEBER

Workbook - O bebé sabe comer

.

Manual

Receitas

Documentos como artigos científicos e guidelines

.

hotmart-42

Grupo privado na Hotmart

Bónus

Masterclass Dicas de Organização
e Planeamento para uma
Alimentação Saudável

com Andrea Franco - Simply Eat.
Saudável. Consciente.
Sem Complicar!

Masterclass Mindfulness
na Alimentação

com a psicóloga Cátia Dias

Masterclass BLW e Nutrição

com a Nutricionista
Sara Romeiro

Por apenas

97€

PROGRAMA DO CURSO

1. Introdução ao Programa O Bebé Sabe Comer

2. Quando iniciar?

3. Introdução dos alimentos e alergias alimentares

4. Segurança e BLW

  • Princípios básicos de segurança:
    – Prevenção
    – Gag reflex ou reflexo faríngeo
    – Tosse
    – Engasgamento
  • Manobras de desengasgamento

5. Acessórios e utensílios na introdução alimentar ​

  • Os copos e como oferecer a agua
  • Os talheres – quais, quando e como
  • A cadeirinha da refeição

6. Colocar em prática

7. BLW e regresso ao trabalho

8. Os livros que me inspiram

9. Vídeos práticos e receitas

Sobre a Marília Pereira

Sou Enfermeira Especialista em Saúde Materna e costumo dizer a brincar que “a Enfermeira virou Cozinheira”.
Fui mãe pela primeira vez em Abril de 2013. Amamentei a Inês, em exclusivo, nos primeiros 6 meses. Ao longo desse período comecei a ter uma consciência cada vez maior da importância da
alimentação no nosso bem-estar físico e psíquico. E se há fase que põe à prova os nossos limites físicos e emocionais é o período pós-parto! Iniciei então este processo, de lista de alimentos
biológicos em punho e várias receitas com combinações bem interessantes, para sopas e “papas” caseiras. Devagarinho, sem pressas, lá iniciámos a introdução da alimentação complementar.
Talvez esse dia não tenha sido bem escolhido pois foi escolhido por nós, pais. O dia em que a Inês fez precisamente 6 meses e 1 dia.

Hoje consigo perceber que a Inês não estava minimamente
preparada, não mostrava qualquer interesse pela hora da nossa refeição nem pelos alimentos.
Estava feliz e muito satisfeita apenas com a sua maminha.
A Inês comia uma ou duas colheres de caldo ou sopa e recusava ou começava mesmo a chorar.
Tínhamos decidido que iríamos respeitar o seu ritmo, não iríamos forçar. Devido à angústia que já tínhamos assistido na hora da refeição de crianças de famílias amigas, tínhamos decidido que não
haveria choro na mesa da refeição cá de casa.
Mas confesso-vos que é extremamente frustrante passar tanto tempo nas compras, preparação e confecção das refeições dos nossos bebés e o bebé recusar comer. Mesmo que a um nível
inconsciente acabamos por pôr em causa o amor dos nossos filhos por nós e deixa-nos até um pouco zangados (“se gostas de mim, come lá mais uma colher!”).
Então houve um momento em que decidi fazer uma pausa e reflectir sobre quais as minhas intenções nesta fase de desenvolvimento da minha filha. E foi aí que “encontrei” o BLW e as nossas horas das refeições passaram a ser momentos vividos com grande naturalidade.

Em 2015 nasceu a Sara e já não houve qualquer dúvida sobre a forma de lhe apresentar a alimentação complementar.

Após a minha primeira experiência percebi que fazia muito sentido partilhar o meu conhecimento e ferramentas com as famílias que acompanho e, por isso, faço-te o convite para olhares para a
alimentação dos bebés com outras “lentes”, com curiosidade e confiança.

Tenho plena consciência que nem todas as famílias que utilizam o BLW o utilizam de forma absoluta. Acredito que cada família sabe o que é melhor e o que funciona, independentemente do nome que lhe dás. A minha missão é fornecer-te toda a informação e partilha de experiências que vos permitam momentos de refeição cheios de alegria, prazer e boa disposição.”

E se eu te disser que a introdução da alimentação complementar do teu bebé, pelos 6 meses, pode ser uma fase divertida, de aprendizagem para toda a família e com refeições iguais para
todos? Pelos 6 meses a maioria dos bebés já tem competências que lhe dão autonomia e lhe permitem explorar os alimentos e auto-alimentar-se, acompanhando as refeições da família.
Anda daí!

Sobre a Marília Pereira

Sou Enfermeira Especialista em Saúde Materna e costumo dizer a brincar que “a Enfermeira virou Cozinheira”.
Fui mãe pela primeira vez em Abril de 2013. Amamentei a Inês, em exclusivo, nos primeiros 6 meses. Ao longo desse período comecei a ter uma consciência cada vez maior da importância da
alimentação no nosso bem-estar físico e psíquico. E se há fase que põe à prova os nossos limites físicos e emocionais é o período pós-parto! Iniciei então este processo, de lista de alimentos
biológicos em punho e várias receitas com combinações bem interessantes, para sopas e “papas” caseiras. Devagarinho, sem pressas, lá iniciámos a introdução da alimentação complementar.
Talvez esse dia não tenha sido bem escolhido pois foi escolhido por nós, pais. O dia em que a Inês fez precisamente 6 meses e 1 dia.

Hoje consigo perceber que a Inês não estava minimamente
preparada, não mostrava qualquer interesse pela hora da nossa refeição nem pelos alimentos.
Estava feliz e muito satisfeita apenas com a sua maminha.
A Inês comia uma ou duas colheres de caldo ou sopa e recusava ou começava mesmo a chorar.
Tínhamos decidido que iríamos respeitar o seu ritmo, não iríamos forçar. Devido à angústia que já tínhamos assistido na hora da refeição de crianças de famílias amigas, tínhamos decidido que não
haveria choro na mesa da refeição cá de casa.
Mas confesso-vos que é extremamente frustrante passar tanto tempo nas compras, preparação e confecção das refeições dos nossos bebés e o bebé recusar comer. Mesmo que a um nível
inconsciente acabamos por pôr em causa o amor dos nossos filhos por nós e deixa-nos até um pouco zangados (“se gostas de mim, come lá mais uma colher!”).
Então houve um momento em que decidi fazer uma pausa e reflectir sobre quais as minhas intenções nesta fase de desenvolvimento da minha filha. E foi aí que “encontrei” o BLW e as nossas horas das refeições passaram a ser momentos vividos com grande naturalidade.

Em 2015 nasceu a Sara e já não houve qualquer dúvida sobre a forma de lhe apresentar a alimentação complementar.

Após a minha primeira experiência percebi que fazia muito sentido partilhar o meu conhecimento e ferramentas com as famílias que acompanho e, por isso, faço-te o convite para olhares para a
alimentação dos bebés com outras “lentes”, com curiosidade e confiança.

Tenho plena consciência que nem todas as famílias que utilizam o BLW o utilizam de forma absoluta. Acredito que cada família sabe o que é melhor e o que funciona, independentemente do nome que lhe dás. A minha missão é fornecer-te toda a informação e partilha de experiências que vos permitam momentos de refeição cheios de alegria, prazer e boa disposição.”

E se eu te disser que a introdução da alimentação complementar do teu bebé, pelos 6 meses, pode ser uma fase divertida, de aprendizagem para toda a família e com refeições iguais para
todos? Pelos 6 meses a maioria dos bebés já tem competências que lhe dão autonomia e lhe permitem explorar os alimentos e auto-alimentar-se, acompanhando as refeições da família.
Anda daí!

Sobre O Bebé Sabe®

O Bebé Sabe® pretende fornecer ferramentas a pais e cuidadores ao longo das fases de gravidez, trabalho de parto e parto, pós-parto, cuidados ao bebé, amamentação, massagem infantil, babywearing, introdução da alimentação complementar, BLW e parentalidade consciente.

TESTEMUHOS

TESTEMUHOS

A primeira vez que tivemos contacto com a abordagem BLW estávamos grávidos de 5 meses. Vimos a filha de amigos a comer. Ela tinha 7 meses e ficámos espantados com o que estávamos a ver: a autonomia, a tranquilidade e o prazer marcou-nos. Pedimos mais informações e foi dessa forma que chegámos à Marília Pereira. Quando a nossa filha fez 6 meses, fizemos um curso com ela e experimentámos pela primeira vez esta abordagem com a Clara. Ela mostrou-se curiosa com os alimentos e durante algum tempo era tanto o alimento que ia para fora como para dentro. Aprendemos com a Marília que isto era normal, pois ela estava a aprender a mastigar. A tranquilidade da Marília e a passagem dos conhecimentos, aliado à experiência diária em família, fazia-nos sentir progressivamente mais seguros.
Eneia e Vasco, pais da Clara
Sou mãe da MR, uma menina de 30 meses, e gostaria de partilhar convosco a nossa experiência no mundo da alimentação e como chegámos ao BLW. Conhecemos a Marília Pereira, na qualidade de enfermeira, em consulta de acompanhamento e de apoio à amamentação, a quem muito temos a agradecer em várias vertentes para além da amamentação, como é o caso do BLW.
Sónia, mãe da Maria Rita

Todas as informações que precisas
para refeições tranquilas em família.

Todas as informações que precisas para refeições tranquilas em família.

© 2024 O Bebé Sabe. Todos os direitos reservados

Até 14 de Fevereiro

OFERTA DE ACESSO AO BOOTCAMP BLW

Desafio de 21 dias para refeições em família simples e felizes

Na compra do Programa O Bebé Sabe Comer

Aproveita já!